miércoles, 26 de mayo de 2010

A problemática da síndrome "Malafaia" !!!!!!!

Todos soubemos, até mesmo os que estamos no campo missionário, do desligamento do Pastor Silas Malfaia da CGADB (Convenção Geral das Assambleias de Deus do Brasil). Admirado e criticado por muitos, o mencionado companheiro, há, no decorrer do seu ministerio, polarizado a posição de muitos crentes que o ouvem, por admirar suas pregações, outros nem tanto.
Mas para os mais atentos e advertidos surge uma inquietação, a qual só podemos aliviar após uma olhanda aguçada no que nos diz as escrituras: A postura do Pastor Silas M. é o fim ou o começo? Ele é o primeiro ou último? Perguntas puramente retóricas! Sabemos que ele nem é o primeiro nem será o último. O que podemos afirmar é que para os mais novos o companheiro se há tornado no primeiro ministro "famoso", ou melhor dizendo, de projeção nacional a fazer algo assim. E exatamente por isso seria algo imprudente ignorar o que sua postura sinaliza para o futuro da igreja no Brasil.
Longe de querer julgar o irmão e pastor, seria interessante analizar as duas únicas maneiras de avaliar sua postura.
Se o companheiro atuou bem, é uma clara denúncia da já conhecida por todos "política de ministério". Ele expõe nos "tabloides da fé" a grave situação de inconformidade que há assaltado a muitos membros de algumas convenções de ministros as quais hão desprezado a boa conduta e têm amado o presente século cultivando atitudes que, usando as palavras do apóstolo Paulo: "nem no mundo se nomeia". Consagrações (de homens que não são irreprenssíveis) totalmente opostas à Palavra, politicagem, pecados encobertos, profanação das contribuições que muitas vezes são pedidas para um fim e aplicadas para outro completamente diferentes, de maneira deliberada e intencional, e o pior: a utilização da igreja para a ascensão pessoal de certos indivíduos que por liderá-las, se acham no direito de usá-las. Tudo isso incentivará um grupo de obreiros fieis que convocarão a que, possivelmente, será a última REFORMA antes da vinda do Senhor para arrebatar os fiéis. A síndrome "Malafaia" pode então representar a rotura de um sistema que aceitou a corrupção como um mal "normal" um tumor "benigno" por mais maligno que possa ser.

Se o companheiro tomou uma má decisão, só Deus o sabe integralmente, não devemos nos espantar. Ele representaria assim o profetizado grupo de homens amantes de si mesmos, que com um discurso de santidade e humildade enganarão aos incautos e ingênuos seguidores. São os já mencionados cães, maus obreiros, pregadores de uma falsa circuncisão (Fil. 3.2)! Dos tais nehuma igreja se salvará. Todos seremos vítimas do que, nas próprias palavras do Senhor, será imporssível deter (Lc. 17.1).
Não podemos, de maneira alguma, julgar o amado irmão e companheiro. O que é certo, é que para os que o amamos, não digo que por amar o admiramos, é um sinal de duas realidades dentro da igreja do Senhor nos últimos días.

2 comentarios:

Lucimario Soares dijo...

A paz de Cristo Jesus!!!

Estimado missionário Assuero, quero lhe parabenizar pela postagem equilibrada porém contudente. Infelizmente os nossos pastores Brasileiros (CGADB),não se posicionaram com equidade e o que se leu e se ouviu apenas gente querendo aparecer nos olofotes da mídia, e outros que deveriam se posicionar se omitiram. Parabéns pelo belo trabalho realizado no Equador. Vá em frente, pois Cristo em nós a Esperança da Glória.

Misionero Assuero Chagas dijo...

Querido Lucimario, Alguém uma vez disse: O perigo não está quando os maus falam, mas sim quando os bons se calam... Vamos juntos, mesmos que as vezes sejamos vozes pequenas, levando a verdade do evangelho...