viernes, 17 de septiembre de 2010

Dez anos dirigindo a igreja do Senhor...

No dia 5 de Setembro de 2010, completei dez anos de ministério pastoral, pela misericórdia de Deus. Há dez anos o Pr. Issac M. Rodrigues, Pr. Roberto José dos Santos e o Pr. José Flor me deram posse, como membro com ação pastoral na congregação de Sítio Canaã, cidade de Igarassu, Pernambuco, Brasil. Parecia uma loucura aos olhos de muitos (Eu tinha apenas 20 anos). Mas Deus sabe que apesar de ser muito jovem, havia desejado fervorosamente aquele momento. Eu me lembro que depois de viver alguns meses em Maceió/Al, eu estava na consagração do sábado na congregação de Pitanguinha e, ali Deus falou comigo pela última vez antes de assumir a responsabilidade pastoral, dizendo: "Farei um rebuliço e te colocarei ainda solteiro no meu ministério". Por causa do meu trabalho voltei ao meu Estado, e, um mês depois o Pr. Issac estava me convidando para cuidar do povo de Deus. Até então a nossa igreja mantinha uma posição bastante conservadora, não aceitando nem mesmo diácono solteiro. Menos de um ano depois eu estava sendo consagrado ao presbitério, sem ainda haver conhecido a que seria minha esposa amada. Lembro de muitas coisas que marcaram a minha vida e que me ajudaram a chegar até aqui. Recordo-me do meu querido pastor, e tenho tantas saudades lembrando daquele homem que me gerou, que tanto me ensinou a amar as almas e a obra do Mestre amado.

Lembro do homem que me ajudou tanto, que me adotou como filho na Fé e que hoje preside a igreja do Senhor, o Pr. Roberto, que me casou, apresentou minhas filhas ao Senhor, me ungiu ministro do evangelho (fui o primeiro ministro consagrado na gestão Pr. Roberto), me enviou para o campo missionário; lembro das suas lágrimas, das suas duras provas antes de assumir o pastorado da igreja em Abreu e Lima, das vezes que conversamos e que choramos juntos. Eu poderia falar muitas coisas boas... Lembro do meu primeiro Pastor (Missionário Sebastião Dantas na igreja em Pau Amarelo), um homem carinhoso com a obra, como aquele, nunca eu vi. Lembro do meu pastor Oséias Gomes, que tombou(está com Cristo) nas trincheiras missionárias na Austrália e que me ensinou a ser um obreiro, deixando-me dirigir a Umadal de Rosa 2 quando eu tinha ainda 17 anos, e do então irmão Francisco (naquela época presbítero da igreja, hoje, pastor do campo em Camaragibe/Pe). Como aprendi com o Pr. Zito, e como a sua morte nos impactou a todos nós que já dirigíamos igreja na época... Como foram bons os momentos em que trabalhei na CPAD! Recordo-me do Irmão João, da equipe CPAD Recife, dos clientes, dos amigos, momentos maravilhosos; (inclusive abrimos uma campanha evangelizadora na CPAD, Léia era a secretária, que lembranças maravilhosas).

Dez anos que vivi com intensidade, com paixão pelas almas. Agradeço muito ao meu Deus, porque Ele me teve por fiel pondo-me no seu ministério. Hoje, depois de dez anos Sinto a mesma paixão, o mesmo fervor, o mesmo desejo de servir ao Mestre, gastar-me e deixar-me gastar, constrangido pelo seu amor cuja altura, profundidade, largura e comprimento, eu creio que nunca vou entender.

Agradeço a Deus por me chamar à “diakonia”, quero servir com toda força da minha alma, quero zelar pela noiva do Mestre, quero alimentá-la e prepará-la para apresentá-la como uma virgem para um só esposo, que é Cristo. Desejo falar o que convém à sã doutrina, visto que fomos aprovados por Deus a ponto de nos confiar Ele o evangelho, não para que agrademos aos homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração; quero ser um obreiro aprovado, quero um dia acabar a carreira (e quanto me falta!!!) e guardar a Fé...

Dez anos pastoreando a igreja do Senhor (Sitio Canaã, Água da Prata, 3ª Etapa, Catende e Riobamba), me tem feito muito feliz. Claro que no decorrer desses anos, especialmente no campo missionário eu tive que enfrentar inimigos da cruz, combater o bom combate, vencer minha carne, destruir fortalezas, lutar, lutar e vencer... Mas, quem põe a mão no arado tem o direito de olhar atrás o recalcitrar os aguilhões? De maneira alguma... Luto e ainda lutarei, lutarei pregando um evangelho bíblico, não importando os que estão esquecendo-se das raízes da nossa fé e do nosso avivamento.

Faltaria-me espaço para falar de tantas coisas boas que me aconteceram nesses dez anos, de como me ajudaram meus pais, da ajuda de Talita, minha irmã, que Deus a recompense; de Carlos e Priscila, de amigos, de conhecidos, da FATEADAL, dos obreiros que consagrei, dos amigos que conquistei, da forma como Deus me quebrantou, das vitórias que Ele me deu, das curas, dos cultos marcantes, das muitas pessoas que me ajudaram e dos muitos que hoje são meus irmãos. Tenho um sentimento de que já não temos muito tempo, é hora de agir já! O que passou já passou... e agora quero esquecer das coisas que para trás ficam e avançar para as que diante de mim estão.

Solo Deo Gloria!