lunes, 16 de mayo de 2011

Uma VITÓRIA memorável !!!

25 de Junho de 2005 ganhamos na justiça o direito de posse do grande templo da nossa igreja na cidade de Riobamba. Eram momentos de tanto gozo e alegria que nos faltavam palavras para expressar nossa gratidão a Deus por aquela vitória histórica. Fizemos festa, e a nossa alegria se tornou em louvor Àquele que nos havia dado a vitória, o Deus de Jacó.

Porém os dias que precederam aquele triunfo foram escuros como uma larga noite sem lua nem estrelas, como a mais negra tempestade, como a erupção de um vulcão*. Depois de apenas seis meses haver assumido a liderança daquela igreja missionária, sofremos grande revés. Fomos derrotados na primeira instância de justiça no Equador. Nossos malfadados inimigos, que Deus use de misericórdia para com os tais, subornaram o juiz, perverteram a justiça e triunfaram como os filhos de Belial costumam fazer. Nós, missionários recém chegados, sentíamos cada batida do nosso coração lutar contra o nosso peito num intento desesperado por sair e encontrar descanso. Então fomos aos pés do Senhor, lançamos sobre Ele a nossa ansiedade, e como é bom sentir Deus cuidar de nós. Naquele tempo eu sentia tanta angústia, tanta tristeza que seria difícil poder descrever.

Contávamos apenas com 63 irmãos, depois de haver sofrido uma triste divisão, antes que chegássemos al; a igreja em Riobamba estava verdadeiramente agonizante. Nenhum dos poucos irmãos, não os julgo, quis ajudar no processo judicial na segunda instância (com exceção da irmã Eva Cayo, que Deus a recompense). Temiam represálias, sabiam que o sistema judicial era corrupto e mais, eu havia rejeitado a proposta do advogado que me aconselhou dizendo: pastor, o Sr. Não quis dar nenhum dinheiro ao juiz de 1ª instância, agora terá que dar muito mais aos três ministros da suprema corte da província. Visto como ingênuo, quadrado e bobo por muitos, eu cria no Deus de Jacó.

Eu sempre me lembrava do patriarca Jacó que no momento de abençoar os filhos de José mudou a posição das suas mãos, abençoando com a mão direita o filho mais novo do governador do Egito, em lugar do primogênito. Na sua velhice, Deus estava usando as próprias mãos do patriarca para mostrar-lhe que ele não precisava ter enganado a seu pai e roubado a bênção de Esaú, seu irmão, pois se era um propósito de Deus, Ele mesmo mudaria as mãos do seu pai Isaac.

Tive a oportunidade de pregar o evangelho para os três ministros da suprema corte de Riobamba, os quais ficaram maravilhados com o doce evangelho, mas não aceitaram o Salvador. No entanto a palavra esteve incomodando as mentes daqueles homens que depois de um ano nos deram, contra todas as previsões, sentença a favor. O mais bonito foi o reconhecimento de nossos adversários que já não apelaram da sentença e um dos quais me disse diretamente: era de vcs mesmo...

O Deus de Jacob ainda é DEUS! Ficam aí algumas lições:

Vitória com suborno é CORRUPÇÃO.

Cheque sem fundo não é prova, é CRIME.

Receber dinheiro sem haver trabalhado por ele, ainda que a lei permita, não é providencia de Deus é AVAREZA, vagabundagem e ser marajá.

É corrupto o que é subornado e o que SUBORNA.

Não existe mentira para o “bem”, toda mentira é PECADO.

Deus não precisa do “jeitinho” da gente, ele é DEUS e dá um jeito.

Que Deus nos ajude sempre.

*em 2006 vivemos a erupção do vulcão “Tungurauha” no Equador. A cidade de Riobamba, às nove da manhã, era escura como a noite, por causa das cinzas do vulcão.

No hay comentarios: