miércoles, 11 de abril de 2012

Notícias da missão no Peru.

 “Y el Señor añadía cada día a la iglesia los que habían de ser salvos” (Hechos 2.47).



Durante os últimos dias, a igreja do Senhor, em Lima, tem vivido dias de um maravilhoso mover de Deus. Salvação de almas, batismos com o Espírito Santo e cura divina têm sido o resultado da graça sobre graça derramada sobre o pequeno rebanho, que luta por jamais deixar o primeiro amor. 



No dia 29 de Março se realizou a inauguração da pequena congregação de Puente Piedra, na região metropolitana de Lima, capital do Peru. O Pastor Roberto, presidente da igreja em Abreu e Lima, deu por inaugurado oficialmente aquele trabalho, que talvez seja, o menor de todos os trabalhos da nossa convenção no Brasil e no mundo, com apenas 9 crentes. Se pode descrever como uma noite de júbilo celestial, aquela, na qual , Jesus salvou uma vida e batizou dois jovens com o Espírito Santo, tal como nos primeiros dias de Pentecostes. 


No dia seguinte empreendemos o segundo batismo nas águas e oito novos convertidos desceram às aguas do batismo. O tema da mensagem ministrada pelo pastor Roberto foi Romanos 6.5ss. E como a palavra vai até à divisão da alma e do espírito, louvores e glorificações ao nome de Jesus eram a resposta dos que sedentos escutavam a ministração da boa notícia. O pastor retumbante insistia “é necessário morrer para o mundo e nascer para Deus”. No mesmo dia um culto de recepção foi organizado na congregação principal em Lima, e mais uma alma se entregou aos pés de Jesus.


 E o Espírito não foi dado por medida: no domingo 01 de Abril, comemoramos o aniversário do Círculo de Oração da igreja em Lima. Mais uma vez a mão do Senhor esteve estendida e o Senhor Jesus batizou mais dois crentes com o Espírito Santo e salvou mais uma alma. Depois das palavras de agradecimento da missionária Rebeca, preguei sobre a fé como elemento indispensável na oração, baseado em hebreus 11.



 O mover do Espírito Santo foi imediatamente sentido sobre os crentes que nunca escutaram que Jesus era tão bom assim. Ao Deus das escrituras, ao Deus comprometido com a sua palavra, ao Deus que nunca mente e nunca erra, ao único Deus verdadeiro cuja plenitude de si mesmo está em seu filho Jesus, que é Deus Eterno com Pai, a Ele seja a honra, seja a glória e seja o louvo para todo o sempre.