miércoles, 2 de noviembre de 2016


Evitem divulgar rumores, porque, essa é a geração dos rumores, das fofocas, do mexerico…


Não entendem de engenharia nem arquitetura, mas condenam um edifício por ver uma rachadura nele, porque um alguém disse que vai desabar.

Evitem divulgar profecias, a maioria são falsas, revelações vazias que visam apenas escandalizar o nome do evangelho, fazendo passar a fé em Cristo numa piada. Sobre esse tema entendam pelo menos três coisas:

1. Somos crentes pentecostais e não místicos. A diferença é que os místicos (também conhecidos como do “reteté”), creem em muita coisa, chamam qualquer coisa de Deus e estão inchados. Os pentecostais nunca vão além do que está escrito (1 Co 4.6), julgam as profecias (1 Co 14.29), pedem de Deus uma confirmação (Mt 14.28), provando os espíritos (1 Jn 4.1). 

2. Um dos sinais dos últimos tempos é a proliferação de falsos profetas e falsos mestres, o que exige de nós ainda mais cuidado e temor. 

3. Por último, entendam que durante eventos importantes como as olimpíadas e a copa, também houve uma enxurrada de profecias sobre catástrofes que não se cumpriram. O que é certo é que o Brasil está em crise económica, crise moral e, como todo o mundo (devido ao que estamos nos últimos dias) viverá eventos desastrosos. 

Recomendo aos irmãos que como Maria, guardem as “revelações” ou “profecias” e nãos as divulguem, até saberem com certeza de que espírito se trata (2 Co 11.14).

Deus abençoe a todos, e a paz do Senhor!

NUNCA ESPALHEM RUMORES

Pr. Assuero Chagas do Nascimento