lunes, 1 de junio de 2020

Reflexões sobre o movimento pentecostal...


     

O movimento pentecostal nasce num dos maiores presentes de Deus para a igreja do nosso Senhor Jesus Cristo: o batismo no Espírito Santo. O dom de Deus, a plenitude do Espírito, o poder, o revestimento, como nós lemos nas escrituras, é sem dúvidas, o grande diferencial entre os testamentos (Antigo-Novo), no que tange a pneumatologia. É de se esperar que o adversário tente distorcer essa grande dádiva. Outrossim, é comum observar o movimento pentecostal permeado por fortes correntes emocionais, que frequentemente distorcem o genuíno avivamento do Espírito com excessos evitáveis. Os erros no manejo do tema são quase onipresentes em todas as igrejas pentecostais do mundo, mas referimo-nos aos extremos; por um lado, alguns apregoam que não se pode “limitar” a atuação do Espírito Santo, como se disso se tratara, por outro lado, os formalistas terminam extinguindo o precioso fogo do dom de Deus, com consequências ainda mais graves, privando desta graça a igreja de Cristo. A urgência de dar ênfases ao marco das Escrituras é mais atual que nunca! Retornar à palavra é imperativo! Evocar as Escrituras dá firmeza ao doutrinador, saúde à igreja local, reaviva o movimento pentecostal e prepara a igreja pentecostal para o avivamento mais esperado da história: o dos últimos dias, antes da vinda de Jesus. Sim, quando a decomposição espiritual de “muitos” ou de “quase todos” já é uma veraz realidade, os que serão arrebatados deslumbram com as lâmpadas cheias do azeite do céu,  cuja luz radia a plenitude de um avivamento bíblico, santo, ilibado, centrado nas Escrituras, o qual efervesce a alma num regozijo inenarrável que só terminará no céu.

Parte (Introdução) da monografia apresentada como requisito para conclusão do curso de Bacharelado em Teologia (TCC): "PENTECOSTALISMO: O PERIGO DO EXCESSO E A DOUTRINA BÍBLICA PARA O MOVIMENTO PENTECOSTAL GENUÍNO." Pastor Assuero Chagas do Nascimento

No hay comentarios: